O quadro acima retrata a vitória do Rei católico polonês Jan Sobieski III na batalha de Viena contra os mulçumanos no ano de 1683.

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Falsificação histórica da vida de São Maximiliano Kolbe pela esquerda católica.






Com o intuito de desfigurar a doutrina católica movimentos e lideres da esquerda católica, apresentam os santos não como exemplos de combatividade frente aos erros do mundo e os inimigos da civilização cristã, mas como pessoas até por vezes moles e songamongas que caracterizam a tibieza de alma da qual um varão católico jamais poderá abraçar sob pena da perdição eterna por muitas vezes assinaladas no diário de Santa Faustina Kowalska.

Mas no caso de São Maximiliano Maria Kolbe a falsificação histórica é brutal, pois o santo polonês nunca cedeu aos seus inimigos a ponto de ter sido martirizado no campo de concentração de Auschwitz. Muitos religiosos não foram perseguidos pela invasão nazista e socialista de 1939 na polônia que deu inicio a segunda guerra mundial como foi o exemplo de São Kolbe. Aliás, os religiosos tíbios pode-se afirmar são os fariseus do antigo testamento e não sofrem perseguição dos inimigos da igreja católica uma vez que são os maiores aliados das forças das trevas.

Seguiu São Kolbe o exemplo de Jesus Cristo que não cedeu ao farisaísmo, sendo por isso julgado e morto inocentemente. Suas palavras são caluniadas e deturpadas pelos que odeiam a verdade.